No Mês da Consciência Negra, acompanhe a luta contra a Ku Klux Klan em “Infiltrado no Klan”

Neste Novembro Negro, acompanhe o detetive Ron Stallworth na investigação de uma das maiores organizações racistas do mundo.

Infiltrado na Klan Ubook

20 de novembro não é apenas uma data – é um marco histórico de um processo de luta. No dia 20 de novembro de 1695, morria Zumbi dos Palmares, último líder do maior dos quilombos do Brasil colonial. Por anos, Zumbi acolheu negros que fugiam da escravidão e defendeu o Quilombo dos Palmares de ataques e expedições daqueles que pretendiam escravizar novamente seu povo.

Apesar de ser uma data de grande importância histórica, só foi incluída no calendário escolar nacional em 2003 e, em 2011, foi instituído oficialmente o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. Neste ano, também se comemora os 130 anos de abolição da escravidão, o que mostra que este sombrio capítulo de nossa história ainda é muito recente.

Infiltrado na Klan Ubook

Novembro é também o mês de celebrar a cultura negra e a luta por igualdade contra o racismo – e já temos o livro perfeito para falar sobre isso.

Infiltrado na Klan Ubook

Ron Stallworth foi um dos poucos detetives negros a trabalhar na polícia de Colorado, EUA, durante os anos 1970. Tendo que enfrentar não apenas o racismo das ruas, mas também da corporação, em 1979, ele comandou uma grande operação para se infiltrar na Ku Klux Klan, uma organização que defende a supremacia branca e promove linchamento e assassinato de negros e latinos desde o fim da Guerra Civil norte-americana, em 1865.

Infiltrado na Klan Ubook

Correndo grandes riscos, Stallworth conseguiu expôr e sabotar grandes atentados terroristas que a KKK faria ao longo de oito meses. Ele conta sua história em “Infiltrado na Klan”, lançado em 2014 e recém adicionado ao catálogo de e-books do Ubook. O livro, que em breve ganhará uma versão em áudio em comemoração ao Mês da Consciência Negra, também foi adaptado ao cinema por Spike Lee, indicado ao Oscar pelo clássico “Faça a Coisa Certa” (1989). A adaptação foi exibida no Festival de Cannes deste ano e foi premiada com o Grande Prêmio do Júri. A KKK também já foi representada no filme “Django Livre” (2012), de Quentin Tarantino: em uma cena, um grupo de supremacistas brancos tenta atacar o protagonista Django (Jamie Foxx), mas são impedidos pelo justiceiro Dr. King Schultz (Christoph Waltz).

Resultado de imagem para django unchained scene]
Cena de “Django Livre”.

Stallworth ajudou a desmascarar o ódio e é o nosso Livro do Mês do Ubook Box em dezembro, com a curadoria feita pelo ator e rapper André Ramiro. Para saber mais, dê uma olhada no que preparamos para você em nosso Box.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s