Semana de combate à violência contra mulher

Post-Blog

Tempo para refletir sobre como combater a desigualdade e a injustiça

Independentemente de raça, cor, etnia, idade ou classe social, qualquer mulher pode estar sujeita à violência de gênero. Nos últimos anos, esse assunto vem sendo cada vez mais debatido no Brasil e reconhecido como um problema estrutural, com origem na constituição desigual dos lugares de homens e mulheres nas sociedades – a desigualdade de gênero -, que não implica apenas nos papéis sociais do masculino e feminino e nos comportamentos sexuais, mas também em uma relação de poder, sendo ainda mais atingida a população negra. O audiobook Os homens explicam tudo para mim, com narração de Andrea Veiga, é uma ótima forma de entender melhor esse desequilíbrio.

Recentemente, esse reconhecimento foi acompanhado por mudanças na forma como devemos responder a essa violência, atacando não as justificativas, mas as causas. O país tornou-se referência internacional com a Lei Maria da Penha, cujo diferencial é a forma de abordar o problema, propondo a criminalização e a aplicação de penas para os agressores, e também medidas que são dirigidas às mulheres para a proteção de sua integridade física e de seus direitos. 

Apesar de tudo isso, o Brasil segue sendo um país violento para as mulheres. De acordo com os dados compilados pelo think tank, ao menos 1,23 milhão de mulheres foram atendidas no sistema de saúde brasileiro vítimas de violência entre 2010 e 2017, além das elevadas taxas de homicídios de mulheres que, quando motivadas pelas razões de gênero, são tipificadas como feminicídios. Esses números expressam apenas uma parte do problema e comumente dizemos que a subnotificação é uma característica dessas situações. O medo, a dúvida e a vergonha são algumas das explicações para esse silêncio. É possível se informar melhor sobre elas no livro O Universo Feminino 2: Violência contra a mulher, de Rosane Machado.

Porém, muito ainda há para ser feito. O sistema de Justiça segue distribuindo de forma desigual o acesso à Justiça. Existem poucos serviços especializados para atender as mulheres em situação de violência. Faltam protocolos que orientem o atendimento. Falta capacitação para os profissionais cuja atuação é muitas vezes definida por convicções pessoais. Faltam políticas educativas de prevenção da violência. Se você gosta de ficção, e quer entender mais sobre as formas de violência contra a mulher, o audiobook Enquanto respirar, narrado por Isabel Gueron, é uma sugestão da Ubook.

O combate à violência contra a mulher é uma conscientização que ganhou força própria e não tem retorno. Muito tem sido feito para que as leis e políticas possam ser implementadas e mais mulheres encontrem condições para acessar direitos e justiça, que deve ser um compromisso de todos.

Naiara Cremasco

A bruxa está solta na Ubook

Entre o pôr do sol do dia 31 de outubro e o alvorecer do dia 01 de novembro acontece a Noite Sagrada. Nesse intervalo de tempo, os espíritos dos mortos retornam com a missão de visitar seus antigos lares e guiar seus amigos e familiares para outro mundo, lugar onde não há fome nem dor. Assim acreditavam os celtas, povo que habitava a Gália (onde hoje é a França) e as ilhas da Grã-Bretanha entre 600 a.C. e 800 a.C. Em homenagem a essa noite, eles celebravam a Festa dos Mortos, pela honra de todos os santos.

31_10-Halloween-Materia-Blog

A festa, originalmente celebrada no dia 13 de maio, foi transferida para o dia 01 de novembro pelo Papa Gregório III, pois o Dia de Finados também era celebrado nesse dia, quando os católicos homenageavam seus mortos. A noite da véspera, dia 31 de outubro, passou a ser chamada de Noite de Todos os Santos.

Por volta dos séculos XIV e XV, as fantasias foram incorporadas à festa na França. A famosa tradição da distribuição de doces às crianças se originou de um costume medieval praticado no Dia de Finados, quando as crianças batiam de porta em porta pedindo o “bolo das almas” em troca de uma oração pelas almas dos familiares falecidos de quem os presenteavam com guloseimas. Já a decoração funesta, vem da crença de que tais artifícios teriam o poder de afastar os maus espíritos.

Desse misto de tradições, nasceu o Halloween – ou o Dia das Bruxas, como é conhecido nos países de língua portuguesa. Conhecidas popularmente por uma aparência medonha, por voarem em vassouras e lançarem feitiços, as protagonistas dessa celebração são personagens recorrentes nas obras de ficção. Características das bruxas, como voar em vassouras, ter um gato — normalmente preto — como animal de estimação, fazer poções mágicas, além da capacidade de ver o futuro em bolas de cristal, são reforçadas na literatura, o que ajuda a construir o imaginário popular em torno de tais figuras.

Agora que você já sabe um pouco sobre as origens dessa festa macabra e divertida, que tal entrar no clima sombrio e aproveitar algumas dicas de audiobooks para ouvir? Dê uma olhada na nossa seleção:

1. Antologia de Hallowen

2. Contos de suspense e terror

3. Drácula

4. Invocadores do mal

5. Mistério em Chalk Hill

6. O jogo da moeda

7. Solomon Kane

 

Naiara Cremasco

Ler ou ouvir? O que o seu cérebro aproveita mais?

“Ah, mas escutar livros não é igual a ler….” – meça suas palavras, pois a ciência cada vez descobre mais coisas incríveis sobre o que acontece com o nosso cérebro quando escutamos histórias.

22_10 Ler ou Ouvir Materia Blog

A última novidade surgiu da Universidade da Califórnia, que resolveu escanear o cérebro de nove voluntários enquanto eles leram ou escutaram as mesmas histórias. As histórias escolhidas foram selecionadas entre as exibidas no programa de rádio The Moth Radio Hour, programa de narração de histórias exibido por quinhentas estações de rádio ao redor do mundo.

Os voluntários escutavam as histórias, e depois as liam, enquanto suas respostas cerebrais eram medidas. E o resultado foi que “as representações semânticas evocadas pela escuta versus leitura são quase idênticas”, ou seja, o cérebro reagiu de forma semelhante, criando imagens mentais parecidas enquanto se lia ou se ouvia.

Cerebro

As mesmas áreas cognitivas e emocionais do cérebro foram estimuladas, como se pode ver na imagem, oferecendo mais informações sobre compreensão e um ponto de partida para estudos futuros para entender melhor o complexo processo de “representação do significado das palavras”.

A pesquisa foi publicada na prestigiada publicação científica Journal of Neuroscience no último setembro e o relatório diz que “esses resultados sugerem que a representação da semântica da linguagem é independente da modalidade sensorial pela qual as informações semânticas são recebidas”, ou seja: pode ouvir seus audiolivros sem susto, sem achar que está usando atalhos ou perdendo algo importante da compreensão da história.

Curtiu saber mais sobre como o cérebro adquire conhecimento? Se gosta de saber como a sua mente funciona, mas está num clima mais romântico pode também gostar de ouvir o audiobook “A Neurociência do Amor”, disponível em nossa plataforma. E você sabia que temos em ebook a revista Mente e Cérebro – que traz mensalmente várias matérias que falam sobre esse conjunto fantástico que nos faz sentir e pensar?

Marta Ramalhete

6 audiolivros para comemorar o Dia Internacional da Mulher!

No Dia Internacional da Mulher, comemore ouvindo 6 histórias de mulheres fortes de nosso acervo!

blog_dia-internacional-da-mulher-2019.png

No início do século XX, mulheres operárias ao longo de todo mundo se mobilizaram para lutar por seus direitos e pela igualdade de gênero. Apenas em 1975, o dia 8 de março foi oficializado como Dia Internacional da Mulher.

Um século e muitas conquistas depois, conheça 6 histórias sobre mulheres fortes junto do Ubook!

 

1. Girlboss

GirlbossSophia Amoruso passou a adolescência viajando de carona, furtando em lojas e revirando caçambas de lixo. Foi aí que Sophia decidiu começar a vender roupas de brechó no eBay. Oito anos depois, ela é a fundadora, CEO e diretora criativa da Nasty Gal, uma loja virtual de mais de 100 milhões de dólares, com mais de 350 funcionários. Uma história inspiradora para qualquer pessoa em busca do seu próprio caminho para o sucesso que virou série da Netflix! Ouça agora!

 

 

2. Lute como uma Garota

Lute como uma garota Estamos vivendo novos tempos: a discussão sobre os direitos das mulheres não se concentra mais em grupos específicos e a luta feminista amplia seu debate na sociedade. Da violência contra a mulher à cultura do estupro, uma série de questões é tema de conversas frequentes na mídia e nas redes sociais. Mas como chegamos até aqui? Quem nos ajudou nessa trajetória? Lute como uma Garota reúne o perfil de figuras importantes da militância feminista, abrangendo das pioneiras do século XVIII às estrelas pop dos dias de hoje, como Frida Kahlo, Simone de Beauvoir, Oprah Winfrey e Madonna, além de nomes essenciais da luta no Brasil, apresentando um pouco de nossa história. Para ouvir, é só clicar aqui!

 

3. Amora

AmoraVencedor do prêmio Jabuti de 2016 nas categorias Contos e Escolha do Leitor, seria pouco dizer que os contos de Amora versam sobre relações homossexuais entre mulheres. Também estão aqui o maravilhamento, o estupor e o medo das descobertas. O encontro consigo mesmo, sobretudo quando ele ocorre fora dos padrões, pode trazer desafios ou tornar impossível seguir sem transformação. É necessário avançar, explorar o desconhecido, desestabilizar as estruturas para chegar, enfim, ao sossego de quem vive com honestidade. Um dos contos, “Vó, a senhora é lésbica?”, virou questão do ENEM em 2018 e foi adaptado para um filme! Vem ouvir com a gente clicando aqui

 

4. Quando me Descobri Negra

Quando Me Descobri Negra“Tenho 30 anos, mas sou negra há dez. Antes, era morena.” É com essa afirmação que Bianca Santana inicia uma série de relatos sobre experiências pessoais ou ouvidas de outras mulheres e homens negros. Com uma escrita ágil e visceral, denuncia com lucidez – e sem as armadilhas do discurso do ódio – nosso racismo velado de cada dia. Leia agora no Ubook!

 

 

 

5. Gorda, solteira, 30 anos, procura

Gorda, solteira, 30 anos, procuraUma divertida novela contando as peripécias de Bárbara em busca de um relacionamento. Bárbara, que sempre foi a garota mais inteligente do colégio e nunca soube o que é tirar uma nota menor que nove. Aprendeu a ler sozinha, aos quatro anos, e os seus melhores amigos sempre foram os livros. E agora ela colocou um anúncio no Badoo procurando um namorado. No espaço “diga algo sobre você” escreveu: gorda, solteira, 30 anos, procura parceiro para relacionamento sério. Vem ouvir com a gente!

 

 

6. E se eu fosse pura?

E Se Eu Fosse PuraProfessora de literatura, doutora em Letras pela Unicamp e prostituta em Campinas, Amara Moira traz um relato autobiográfico sobre sua transição de gênero e as experiências como profissional do sexo. Travesti em inícios de carreira, para ela, “corpo que não tem lugar, corpo que se fazia à revelia das regras, das normas, corpo que se prestava pras sombras, essa era eu e eu não fazia sentido, sequer sabia aonde eu queria chegar. Quem me entendia? Este livro é sobre a escolha que não faz sentido, este livro é sobre buscar porquês. E se eu fosse puta? e se fosse você?”. Para ouvir, clique aqui.

Descubra o livro de cada signo para 2019!

O céu está falando. Saiba agora qual o livro do seu signo em 2019!

signos-2019-blog.png

O Ano Novo está chegando e as previsões já estão esquentando. As estrelas não mentem: descubra o livro de cada signo para 2019!

 

Áries

1808222237-intolerante.jpgAutor: André Luiz Leite Da Silva
Editora: Autografia

Os arianos não são exatamente conhecidos por sua paciência. Em “Intolerante”, o autor André Luiz Leite Da Silva faz uma narrativa sobre, obviamente, a intolerância, baseada em sua experiência como escrivão da polícia. Todos os dias, lamentações, xingamentos, desentendimentos, lamúrias, enfim, as mazelas humanas; assim nasceram as crônicas, as quais são expostas à problemática humana. É, talvez o Projeto Paz e Amor fique para 2020. Para ler “Intolerante”, clique aqui.

 

Touro

2243076A-D2AF-478B-5242-5E0D3157C988.jpgAutora: Vanessa Gerhard
Editora: Editora CJT

Há três coisas que todo taurino gosta: comida, amorzinho e cama. E em 2019, a soneca vai ser pesada. Em “A Princesa Preguiçosa”, conhecemos a história da prima da Bela Adormecida que um dia se apaixona por um príncipe cheio de energia. No meio do caminho, os dois precisam aprender a lidar com as suas diferenças para ficarem juntos. Ouça agora!

 

Gêmeos

AB1EC15D-8976-DB41-C7CD-FB21556E4BD0.jpgAutor: Gerson Lodi Ribeiro
Editora: Editora Draco

Mais duas caras que um geminiano? Em “A Ética Da Traição”, o autor Gerson Lodi Ribeiro imagina uma América do Sul de configuração política bem diferente. Venha conhecer essa história!

 

 

 

Câncer

5FE945D5-E7C0-F455-4261-04749E3D01C2.jpgAutor: Lucas Silveira
Editora: Dublinense

Ser trouxa está na genética do canceriano. Em “Amores Impossíveis”, Lucas Silveira narra o sentido da vida, física quântica e, claro, a profundidade do amor humano. Vem ler com a gente!

 

 

 

Leão

C00D4879-2A32-9CC0-34A9-9553085003B9.jpgAutor: Instituto Arbinger
Editora: Gente

Leoninos são líderes natos. Não se trata de arrogância; eles não são mandões, eles são os chefes. Em “Como Nasce O Líder”, nós acompanhamos a história de Tom, que nos mostra como é possível romper com ciclos improdutivos e perceber como e por que o sucesso só depende de nós. Uma narrativa fascinante sobre como nossa mente esconde as emboscadas que nos colocam dentro de ‘caixas’. Leia agora!

 

Virgem

1808161036-a-garota-no-gelo.jpgAutor: Robert Bryndza
Editora: Gutenberg

Gelado feito o coração de um virginiano, “A Garota no Gelo” conta a história da detetive Erika Foster. Quando Erika começa a investigar o assassinato de uma jovem socialite, vai ligando os pontos entre esse crime e a morte de três prostitutas, todas encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, em águas geladas nos arredores de Londres. Com a carreira pendurada por um fio depois da morte de seu marido em sua última investigação, Erika deve agora confrontar seus próprios demônios, bem como um assassino mais letal do que qualquer outro que já enfrentou antes. Vem ouvir com a gente!

 

Libra

479347-arte-da-escolha.jpgAutor: Iyengar Sheena
Editora: Unicult Editora

A maior tortura para um libriano é tomar uma decisão. Em “A Arte Da Escolha”, a professora da Universidade de Columbia, Sheena Iyengar, optou pela tarefa hercúlea de nos ajudar a fazer melhores opções. Ela faz perguntas fascinantes: será que o desejo de escolher é inato ou criado pela pela cultura? Por que às vezes escolhemos contra os nossos interesses? Quanto controle realmente temos sobre o que escolhemos? Em última análise, ela oferece respostas inesperadas e profundas, provenientes de sua premiada e abrangente pesquisa, que inclui diversas disciplinas. Para ouvir, é só clicar aqui.

 

Escorpião

1809141856-seducao-irresistivel.jpgAutora: Kacau Tiamo
Editora: Universo dos Livros

No audiolivro “Sedução Irresistível”, quando tudo dá errado na vida de Claudia Lima, ela resolve aproveitar suas férias forçadas e realizar seu antigo sonho: mudar-se para o litoral e recomeçar a sua vida do zero. Porém, enquanto procura um bom lugar para recomeçar, ela se depara com o homem mais impressionante que já viu na vida. Não muito diferente da vida de um escorpiano, né? Esses signos de água… Só lendo para saber!

 

Sagitário

71B82239-77ED-7A11-5B20-C76D63905B51.jpgAutora: Ana Lúcia Merege
Editora: Editora Draco

Um signo de fogo é um signo de fogo. Em “O Fogo Interior”, conhecemos o meio-elfo Razek, que, entre a paixão por Tarja e a sensação de ser um eterno injustiçado, descobre quais são as consequências de brincar com fogo… e com o Mestre Kieran de Scyllix. Leia conosco!

 

 

Capricórnio

1810011832-a-arte-de-ganhar-dinheiro.jpgAutor: P. T. Barnum
Editora: AMS Publicações

Capricornianos podem ser os maiores sovinas da Terra, mas eles sabem prosperar. “A Arte de Ganhar Dinheiro” é um livro fantástico e talvez um dos maiores legados de um dos mais ousados e ambiciosos empreendedores que os Estados Unidos já conheceram. Seu autor, o empresário Phineas Taylor Barnum, é um gênio dos negócios e um dos primeiros milionários do mundo na área de entretenimento. Neste livro, Barnum expõe seu pensamento sobre os negócios e ensina ao leitor sobre como ser bem-sucedido em matéria de ganhar dinheiro. Para enriquecer, é só ouvir!

 

Aquário

FBADCCBC-93F7-1802-02FC-A84850249163.jpgAutora: Jaqueline De Marco
Editora: Editora Draco

Com aquarianos não tem frescurinha. Sem grude, nem romantismo exagerado. Em “Super Desapegada”, Raquel faz o maior sucesso na internet. Seu blog Super Desapegada motiva mulheres a se valorizarem e prega a autoestima sem a presença constante e essencial de um companheiro. Mas fora da web Raquel não é tão descolada assim e carrega há muito tempo um amor platônico por Alan, seu melhor amigo de infância. Em seu aniversário de trinta anos, Raquel descobre que ele está noivo de Bianca, a irmã caçula de Eric, seu rival nos tempos de escola. Para conseguir acabar com o casamento e conquistar de vez seu grande amor, a blogueira precisa se aliar ao sarcástico Eric. Porém logo ela começa a perceber que essa parceria pode render muito mais do que imaginava. Clique aqui para ler!

 

Peixes

1808301553-o-colecionador-de-lagrimas.jpgAutor: Augusto Cury
Editora: Instituto Augusto Cury

Quer chorão maior que um pisciano? Brincadeiras à parte, “O Colecionador de Lágrimas” é um livro sobre coisa séria. Um professor especialista no nazismo e na II Guerra Mundial começa a ter insônia e pesadelos, como se estivesse vivendo as atrocidades ocorridas naquela época. Amado por muitos mas criticado e até processado por outros, sua fama o coloca sob os holofotes. Ainda mais quando um estranho complô nazista parece persegui-lo. Para ouvir, é só clicar aqui.

 

Comece seu livro antes de 2019 🙂 Feliz Ano Novo e boas festas!

5 audiolivros para ouvir na festa de Natal!

O Natal está chegando e nós temos o segredo para sua noite feliz!

desafio-blog-natal.png

É véspera de Natal e a sua família provavelmente já está toda reunida ao redor da lareira – que, neste caso, é o verão brasileiro. É, talvez fique difícil trocar calor humano na noite feliz. Mas, como este é um momento de união e alegria, nós sabemos exatamente o segredo para dar aquela aconchegada durante a ceia: 5 audiolivros imperdíveis para ouvir na sua festa de Natal!

 

1. Um conto de Natal

capa-um-conto-de-natal-1200x1800.jpgAutor: Charles Dickens
Editora Ubook

Este clássico de Natal, narrado por Paulo Betti, encanta gerações há quase 200 anos. Na trama, apenas uma pessoa não parece feliz com o Natal: o velho Scrooge, homem de negócios sovina, ranzinza e solitário. Ele não vê razão para tanta alegria e inquieta-se, apenas, com a folga que terá de dar a seu secretário. Mas ele recebe a visita fantasmagórica de Marley, seu falecido sócio, que se arrepende de ter passado a vida atrás do dinheiro. Ele leva Scrooge em uma viagem inesquecível para tentar salvá-lo enquanto é tempo. Para ouvir, é só clicar aqui.

 

2. Poemas de Natal

20DA1D92-CC60-6AD5-ED13-4977F80C9242.jpgAutor: Vários
Editora Ubook

Neste audiolivro, preparamos 10 pequenos poemas históricos de Natal. Desde um dos primeiros textos poéticos escritos em solo brasileiro, do recém-canonizado Padre José de Anchieta, passando por ícones como Luís de Camões, Gonçalves Dias, Fernando Pessoa e Machado de Assis, são breves escritos que prometem poetizar a sua noite ♥ Ouça agora!

 

 

3. Contos de Natal – Volume 1

8F579BC8-F51B-E45F-F1FA-D525DBD72E85.jpgAutor: Vários
Editora Ubook

São três contos natalinos da literatura portuguesa e brasileira para você ouvir e se emocionar. Em “Suave Milagre”, Eça de Queiroz conta a história de Jesus através do relato de uma pobre mãe, cujo filho tinha apenas um desejo: conhecer o Nazereno. No conto “As Estrelas do Cego”, João da Câmara nos mostra que o que vemos com a alma pode ser mais verdadeiro do que aquilo que vemos com os olhos. Já Mario de Andrade nos conta a história de uma família unida pela teimosia de um filho e de um peru de Natal. Para ouvir, é só clicar aqui.

 

4. Contos de Natal – Volume 2

A17FE2AB-3276-FA84-569A-5005B4A4A9EB.jpgAutor: Vários
Editora Ubook

No segundo volume, apresentamos quatro contos da literatura estrangeira, com autores consagrados, como Mark Twain, em “Carta de Papai Noel”; os Irmãos Grimm, em “Os Duendes e o Sapateiro”; William Sydney Porter, em “O Presente dos Reis Magos” e “A Pequena Vendedora de Fósforos”, de Hans Christian Andersen. Ouça aqui.

 

 

5. Histórias de Natal

E700CDB9-6DC5-D5E1-98BD-FB85527520E6.jpgAutor: Augusto Pessôa
Editora Escrita Fina

Histórias de Natal reúne 7 belos contos populares de Natal, característicos de várias regiões do mundo, recontados e ilustrados pelo contador de histórias Augusto Pessôa. Os textos, em sua maioria, explicam ícones relativos à data, como a presença boi e do burro no presépio, o costume de montar árvores de Natal, a meia colorida na janela e muitos outros. Todas as narrativas trazem lições de amor, humildade e fraternidade. Vem ouvir com a gente!

Desafio dos 10 audiolivros para ouvir até o fim de 2018 no Ubook!

Faltam 15 dias para o fim de 2018 e temos um desafio para você!

desafio-blog.png

O ano de 2018 está chegando ao fim. Nada melhor do que um pequeno desafio para terminar esse ano. Você consegue fechar com chave de ouro e, ao mesmo tempo, agregar valor cultural ao seu dia? Temos esses 10 audiolivros carinhosamente selecionados pela nossa equipe com o que há de melhor em nosso catálogo. Você aceita o desafio?

 

Boneco de Neve

42144165.jpgAutor: Jo Nesbo
Editora Record
Suspense

Campeão de vendas na Europa, “Boneco de Neve” é um suspense de tirar o fôlego! O inspetor Harry Hole precisa entender a mente de um psicopata cruel, que coloca bonecos de neve nos jardins das casas que vai atacar. O enredo é complexo, mortal e com um final surpreendente! Para ouvir, é só clicar aqui.

 

 

Modelo Veraque

1808231158-modelo-veraque.jpgAutor: Diego Bacellar
Editora Ubook
Ficção Científica

Nesta ficção científica envolvente e original, o narrador é ressuscitado milhares de anos no futuro, quando a civilização já viveu uma incrível evolução científica, filosófica, social e política. Contudo, há um motivo para ele ser ressuscitado tantos anos no futuro. Ouça este audiolivro clicando aqui e descubra que motivo é esse!

 

 

Organizações Exponenciais

51eSqxMz4xL.jpgAutores: Salim Ismail e outros
HSM Editora
Empreendedorismo

Se você sempre quis saber o segredo do sucesso que fez com que certas empresas crescessem exponencialmente, este é o audiolivro certo! Os autores realizaram uma vasta pesquisa sobre empresas que conseguiram radicalmente transformar a forma de se organizarem, tornando-se tecnologicamente inteligentes, adaptáveis e abrangentes. Há tanto casos clássicos, como o da Coca-Cola, quanto os de empresas do mundo digital, como GitHub e Netflix, além de entrevistas com mais de 70 líderes globais. Um prato cheio para quem deseja empreender ou agregar valor à empresa em que trabalha. É só clicar aqui!

 

Como Convencer Alguém em 90 Segundos

51yHSrcZGCL.jpg

Autor: Nicholas Boothman
Universo dos Livros
Empreendedorismo

Dizem que a primeira impressão é a que fica. Nesse audiolivro, Nicholas Boothman ensinará a usar o rosto, o corpo e a voz para causar uma ótima primeira impressão. Você aprenderá que os verdadeiros mestres da boa impressão conseguem qualquer coisa clicando aqui.

 

 

O Oitavo Selo

download.pngAutora: Heloisa Seixas
Editora Heloisa Seixas
Biografia

O protagonista deste audiolivro é o marido de Heloisa Seixas: o Ruy Castro. Ao longo da obra, que trata da realidade difícil dos problemas que o casal teve de enfrentar, a autora intercala depoimentos seus, o que dá ainda mais veracidade e peso ao que é narrado. Esta é uma obra sensível e emocionante que vai te prender do início ao fim. Ouça agora!

 

 

As Crônicas de Elvis Vol. 1 Cadillac Cor de Rosa

download.jpgAutor: Daniel Frazão
Editora Zit
Biografia

Apesar de ainda ser muito famoso nos dias de hoje, Elvis Presley, o eterno Rei do Rock, ainda tem facetas e histórias desconhecidas. Este livro é o resultado de um longo trabalho do autor, Daniel Frazão, e reúne histórias que se passaram durante a primeira fase do Rei, desde seu anonimato e boa parte de sua ascensão nos anos de 1950. Vem ouvir com a gente.

 

Holocausto Brasileiro

download (1).jpgAutora: Daniela Arbex
Geração Editorial
Não-Ficção

A realidade dura de milhares de pessoas que foram internadas em um hospício em Barbacena, em Minas Gerais. O problema? Eles não tinham problema mental algum – eram alcóolatras, meninas engravidadas ilegalmente pelos patrões, homossexuais etc. Dentro da instituição, que durou décadas, eles viveram o inferno na Terra, sofrendo torturas e sendo, até mesmo, mortos. Daniel Arbex nos conta, aqui, a história completa dessa instituição e do genocídio que provocou.

 

Invocadores do Mal

download (2).jpgAutores: Ed e Lorraine Warren e Cheryl A. Wicks
Editora Pensamento
Biografia

Para o casal Ed e Lorraine Warren, espíritos e as forças das Trevas são reais e constantes em seu dia a dia. Este audiolivro é fruto das anotações e dos estudos do casal ao longo de décadas de trabalho. Além de casos que se tornaram famosos, como o da mansão mal-assombrada Amytville, o casal explica também como resolver situações de acontecimentos paranormais. Clique aqui para ouvir!

 

Poesia Falada: Fernando Pessoa por Paulo Autran

106781-poesia-falada-fernando-pessoa-por-paulo-autran.jpgFernando Pessoa
Editora Luz da Cidade
Poesia

Paulo Autran foi um dos maiores atores do Brasil. Além de trabalhar no teatro e na televisão, ele também emprestou toda a força, fúria, ironia e doçura de sua voz à poesia de alguns dos mais importantes poetas da língua portuguesa. Neste audiolivro, podemos ouvir a voz de Paulo Autran dando vida aos mais célebres poemas de Fernando Pessoa clicando aqui.

 

Poesia Falada: Antônio Cícero por Antônio Cícero

download (3).jpgAntônio Cícero
Editora Luz da Cidade
Poesia

Antonio Cícero é poeta, filósofo e escritor de letras de música. Suas letras já foram gravadas por artistas do naipe de Marina Lima, Caetano Veloso e João Bosco. Neste audiolivro, você ouvirá clicando aqui pela voz do próprio autor alguns de seus principais poemas.
Não se esqueça de compartilhar a sua experiência conosco ♥ Deixe um comentário em nosso Facebook!

 

No aniversário de Clarice Lispector, conheça as obras da autora!

No dia de hoje, Clarice Lispector completaria 98 anos. Conheça sua obra no Ubook!

Resultado de imagem para clarice lispector

No dia 10 de dezembro de 1920, nascia Clarice Lispector, uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX – e, da mesma forma, na véspera de seus 57 anos, em 9 de dezembro de 1977, a autora faleceria. É neste ínterim, entre o aniversário de nascimento e de falecimento, que o Ubook relembra a vida e a obra da contista.

Clarice nasceu na Ucrânia sob o nome de Chaya Pinkhasovna Lispector, e chegou ao Brasil com 2 anos de idade, fugindo da guerra civil russa e da perseguição aos judeus na Europa. Porém, a escritora nunca se considerou ucraniana: “Naquela terra eu literalmente nunca pisei: fui carregada de colo”, dizia, declarando-se brasileira e pernambucana, uma vez que foi em Maceió que sua família fez morada.

Resultado de imagem para clarice lispector

Após perder pai e mãe durante a adolescência, já morando no Rio de Janeiro, Clarice se formou em Direito pela UFRJ, mas sua paixão sempre foi a literatura, onde se inseriu primeiro como tradutora antes de se tornar jornalista e, enfim, ensaísta, contista e romancista. Hoje, é considerada uma das principais autoras do modernismo brasileiro e do século XX como um todo, com suas narrativas de cenas simples do cotidiano que evocavam longos monólogos internos, crises pessoais e tramas psicológicas.

Conheça alguns dos principais livros de Clarice Lispector.

 

1. Laços de Família

Resultado de imagem para clarice lispector laços de família

Um dos mais famosos livros da autora, “Laços de Família” é uma coletânea de 13 contos publicada em 1960 e ganhadora do Prêmio Jabuti de Literatura na categoria de contos, crônicas e novelas. Todos os contos são atravessados pelo que há de melhor nas histórias de Clarice: as epifanias existenciais em situações do cotidiano, como um simples jantar de família (“O Jantar”, publicado originalmente em 1943) ou uma festa de aniversário, como no famoso “Feliz Aniversário”. “Laços de Família” está disponível para ouvir no Ubook.

 

2. A Paixão Segundo G.H.

Resultado de imagem para clarice lispector a paixão segundo g.h

“Paixão” começa como muitas outras narrativas de Clarice: de um caso simples do dia a dia. G.H., uma escultora, demite sua empregada e, ao tentar arrumar seu próprio quarto, esmaga uma barata. A partir deste acontecimento, a própria G.H. nos narra a perda de sua individualidade. Definido com um longo monólogo em primeira pessoa, “A Paixão Segundo G.H.” também está disponível no Ubook.

 

 

 

3. Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres

241004

Em “Aprendizagem”, Clarice nos guia através do romance entre Loreley, uma professora primária, e Ulisses, um professor de filosofia. O primeiro desafio de Lóri, na verdade, é a descoberta do amor, em busca de si própria e do prazer. Ganhador do prêmio Golfinho de Ouro do Museu da Imagem e do Som, ouça “Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres” no Ubook clicando aqui.

 

 

4. A Via Crucis do Corpo

Resultado de imagem para clarice lispector a via crucis do corpo

“A Via Crucis do Corpo” é também uma coletânea de contos, definida pela própria autora como sendo sobre “uma fresta no cárcere social que mantém a mulher supostamente distante de seus desejos, fardos e fantasias”. Escrita por encomenda, com a proposta de ser erótica, o livro escandalizou parte da crítica da época, também recorrendo a temas como a solidão e a velhice. Narrado por Antonio Fagundes, “A Via Crucis do Corpo” também está disponível para ouvir no Ubook.

Você sabe tudo sobre a Literatura Negra brasileira?

No Mês da Consciência Negra, vamos relembrar um pouquinho sobre os autores negros de nossa história!

Resultado de imagem para machado de assis

Você certamente já ouviu falar da Literatura Afrobrasileira – mas você sabia que alguns dos nossos mais importantes autores são negros?

Não poderia deixar de ser, afinal, a herança africana é fortíssima na cultura brasileira. Segundo o IBGE, 54% da população brasileira é negra e, ao longo da história, várias figuras deixaram suas marcas na música, na política, no cinema e, claro, na literatura. Vamos conhecer alguns deles?

 

1. Machado de Assis

Resultado de imagem para machado de assis

Dono de uma bibliografia histórica e um dos maiores nomes da literatura nacional, o fundador da Academia Brasileira de Letras e autor de clássicos como “Dom Casmurro” nasceu no Morro do Livramento em 21 de junho de 1839. Filho de pai negro e mãe branca, Machado de Assis teve uma infância humilde, vendendo doces e pouco frequentando a escola pública. Porém, a paixão por leitura sempre definiu seu rumo. Aos 16 anos, já órfão, tornou-se aprendiz de tipografia e fez suas primeiras publicações no jornal “A Marmota”. Em 1872, publicaria seu primeiro romance, “Ressurreição”, e deslancharia sua carreira como um dos mais importantes autores de sua época e o principal nome do realismo brasileiro.

Mas, se Machado era negro, por que nunca é representado como tal? Ao longo dos anos, a figura do autor passou por um grande processo de “branqueamento”, sendo representado até mesmo como loiro em certas ocasiões. Fazendo parte da elite intelectual carioca, sua identidade negra foi por muitas vezes apagada. Após sua morte, escreveu Joaquim Nabuco:

“Mulato, ele foi de fato, um grego da melhor época. Eu não teria chamado Machado de Assis de mulato e penso que lhe doeria mais do que essa síntese. (…) O Machado para mim era um branco e creio que por tal se tornava; quando houvesse sangue estranho isso nada alterava a sua perfeita caracterização caucásica. Eu pelo menos só via nele o grego”.

Machado, da mesma forma, raramente abordava a questão racial em suas obras, apesar de, já no final de sua carreira, comentar sobre a escravidão e a abolição com sua ironia característica. Estudos recentes comprovam até mesmo que o autor era um ferrenho defensor do abolicionismo, fazendo o possível para favorecer a alforria de negros escravizados durante o período em que trabalhou como chefe encarregado do Ministério da Agricultura de D. Pedro II.

De “Memórias Póstumas de Brás Cubas” a “Quincas Borba“, a obra de Machado de Assis está disponível para ouvir no Ubook.

 

2. Lima Barreto

Resultado de imagem para lima barreto

Um dos principais nomes do pré-modernismo brasileiro, Lima Barreto teve uma vida conturbada. Assim como Machado de Assis, nasceu pobre e teve que lutar desde cedo contra o preconceito. Após ter que abandonar a escola para cuidar de seus irmãos, é contratado como escrituário do Ministério da Guerra. Em 1909, faz sua estreia na literatura com “Recordações do Escrivão Isaías Caminha”, uma reflexão profunda sobre um jovem mulato que sofre racismo – sempre em tom autobiográfico e satírico.

Sua principal obra é “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, publicado em 1915, uma sátira sobre a sociedade brasileira e carioca após a Proclamação da República. Na estória, Policarpo Quaresmo é um ingênuo e empolgado nacionalista, que sonha em elevar o país à riqueza, mas precisa enfrentar a corrupção e a desigualdade social.

Lima Barreto, assim como Machado de Assis, fazia críticas ácidas à elite e à sociedade, mas sua principal marca é seu linguajar despojado e coloquial, procurando um “escrever brasileiro” genuíno, próximo da fala do povo, sempre priorizando acontecimentos sociais e históricos à linguagem ortodoxa dos intelectuais da época. Por isso, também, recebeu muitas críticas e encontrou dificuldades para fazer suas obras circularem. Em 1922, após internações em hospícios e grandes crises de alcoolismo, Barreto morre na pobreza e no esquecimento, sem saber que se tornaria um dos grandes nomes de nossa literatura.

Romances e contos clássicos de Lima Barreto, como “Triste Fim de Policarpo Quaresma“, estão disponíveis para ler no Ubook.

 

3. Cruz e Sousa

Resultado de imagem para cruz e sousa

João da Cruz e Sousa nasceu em Nossa Senhora do Desterro (atual Florianópolis) em 24 de novembro de 1861. Filho de ex-escravos, enfrentou desde cedo o preconceito racial, sendo impedido de ocupar um cargo público em Santa Catarina por ser negro.

Cruz e Sousa escreveu seu primeiro poema aos 8 anos, já prevendo uma carreira de sucesso em sua vida adulta, quando se tornou o principal nome do movimento simbolista brasileiro e um dos grandes poetas de nossa história. Suas obras, marcadas pelo misticismo, musicalidade, pessimismo e individualismo, refletem sobre o amor, a vida, a morte, o sofrimento e a religião, tudo marcado por figuras de linguagem como a metáfora e a sinestesia.

Porém, mesmo com temas tão subjetivos, o autor jamais se esqueceu da causa negra. Já aos 20 anos, era um militante engajado pelo abolicionismo, e o tema do racismo está presente em toda sua obra. No belo poema “Livre”, Cruz e Sousa versa sobre a libertação de um negro escravizado:

Livre! Ser livre da matéria escrava,
arrancar os grilhões que nos flagelam
e livre penetrar nos Dons que selam
a alma e lhe emprestam toda a etérea lava.

Livre da humana, da terrestre bava
dos corações daninhos que regelam,
quando os nossos sentidos se rebelam
contra a Infâmia bifronte que deprava.

Livre! bem livre para andar mais puro,
mais junto à Natureza e mais seguro
do seu Amor, de todas as justiças.

Livre! para sentir a Natureza,
para gozar, na universal Grandeza,
Fecundas e arcangélicas preguiças.

Assim como Lima Barreto, morreu jovem, aos 36 anos, vítima de uma tuberculose. A mesma doença havia levado, anos antes, seus quatro filhos, o que se refletiu em sua obra, cada vez mais sombria, e na saúde mental de sua esposa, que passou a demonstrar sinais de doenças psicológicas.

Grandes obras de Cruz e Sousa como a coletânea de poemas “Broquéis” estão disponíveis para ler no Ubook.

 

4. Maria Firmina dos Reis

Resultado de imagem para Maria Firmina dos Reis

Considerada a primeira mulher brasileira a lançar um romance, Maria Firmina dos Reis foi pioneira na crítica antiescravagista. Filha de mãe branca e pai negro, Firmina usou a literatura como uma maneira de humanizar personagens negros em uma época em que a escravidão ainda era legalizada.

Nascida em 1825, em Maranhão, até hoje não se sabe qual é o verdadeiro rosto de Firmina. Em 1847, se torna professora, já com um forte discurso abolicionista, mas desde cedo precisa enfrentar tentativas de silenciamento – afinal, não era comum que uma mulher expressasse sua opinião, quanto mais uma mulher negra se posicionando contra a escravidão. É apenas anos mais tarde, em 1859, que Maria Firmina dos Reis lança seu primeiro romance, “Úrsula” – uma obra extremamente crítica ao escravagismo, contada do ponto de vista de negros escravizados, muito antes de “Escrava Isaura”.

Maria Firmina dos Reis morre em 1917, deixando uma vasta obra marcada pelo debate racial e pela subjetividade feminina.

 

5. Abdias Nascimento

Resultado de imagem para abdias nascimento

Muito mais do que um autor, Abdias Nascimento foi um ator, professor, dramaturgo e ativista político. Nascido em 1914, mais de vinte anos após a abolição da escravidão, Nascimento viu um mundo muito diferente dos narrados pelos autores anteriores: os negros eram livres em tese, mas o racismo continuava presente em todos os lugares.

Depois de uma passagem pelo Movimento Integralista, Nascimento passou a fazer parte do Movimento Negro e fundou em 1944 o TEN (Teatro Experimental do Negro), uma companhia voltada para combater os estereótipos raciais no teatro que fez história até mesmo no cinema, formando grandes nomes da dramaturgia nacional como Ruth de Souza, Arinda Serafim, entre outros. A trajetória do grupo é narrada em seu livro, “Teatro Experimental do Negro”.

No final da década de 1960, após fundar o Museu de Arte Negra, devido à grande repressão da época, sai do Brasil e faz palestras em todo mundo, ganhando o título de professor emérito na Universidade do Estado de Nova Iorque e se estabelecendo por um breve período na Universidade de Ife, na Nigéria, onde publica seu manifesto “O Genocídio do Negro Brasileiro – Processo de um Racismo Mascarado”, em resposta às tentativas de censura de representantes brasileiros no Festival Mundial de Artes e Culturas Negras e Africanas de 1977.

Ao voltar do exílio, Nascimento se insere na política nacional, criando o Instituto de Pesquisa e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro) e sendo eleito deputado federal e posteriormente senador. É também ele um dos principais responsáveis pela criação do Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro, data instituída em 2006 em São Paulo.

Abdias Nascimento faleceu em 24 de maio de 2011, na cidade do Rio de Janeiro, deixando uma longa bibliografia com títulos como “Sortilégio” e “Quilombismo”, sempre pensando na desigualdade racial brasileira. Sua biografia, escrita por Sandra Almada, está disponível para ler no Ubook.

 

6. Nei Lopes

Resultado de imagem para nei lopes

Nei Lopes nasceu em 1942, no Rio de Janeiro, e começou sua carreira no samba. Após formar-se pela Faculdade Nacional de Direito da UFRJ, em 1966, e abandonar a carreira de advogado, Lopes grava seu primeiro samba, “Figa de Guiné”, em 1972 – o que não foi novidade para quem acompanhou sua juventude em montagens teatrais, rodas de choro e saraus.

Ainda na década de 1970, cria o Grêmio Recreativo de Artes Negras e Escola de Samba Quilombo, juntamente com Candeia e Wilson Moreira, com quem lançaria seu primeiro disco em 1980. Após o lançamento, Nei Lopes passa a se dedicar à pesquisa da história e cultura afrobrasileira – e, até hoje, publicou mais de 30 livros sobre o assunto, sem jamais deixar de lado, claro, sua trajetória no samba.

Nos últimos anos, Lopes apresentou a conferência “O negro na literatura brasileira: autor e personagem” na Academia Brasileira de Letras, participou da Bienal do Livro do Rio de Janeiro na seção “Café Literário” e ganhou o título de doutor honoris causa pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e a medalha da Ordem de Rio Branco, do Ministério das Relações Exteriores. Além disso, ganhou prêmios como o “Prêmio Shell de Teatro”, o “Troféu Bibi Ferreira” e o “Prêmio da Associação de Produtores Teatrais do RJ”.

Nei Lopes segue publicando até hoje, e suas obras “Dicionário Escolar Afro Brasileiro” e “Enciclopédia Brasileira Da Diáspora Africana” estão disponíveis para ler no Ubook.

No Mês da Consciência Negra, acompanhe a luta contra a Ku Klux Klan em “Infiltrado no Klan”

Neste Novembro Negro, acompanhe o detetive Ron Stallworth na investigação de uma das maiores organizações racistas do mundo.

Infiltrado na Klan Ubook

20 de novembro não é apenas uma data – é um marco histórico de um processo de luta. No dia 20 de novembro de 1695, morria Zumbi dos Palmares, último líder do maior dos quilombos do Brasil colonial. Por anos, Zumbi acolheu negros que fugiam da escravidão e defendeu o Quilombo dos Palmares de ataques e expedições daqueles que pretendiam escravizar novamente seu povo.

Apesar de ser uma data de grande importância histórica, só foi incluída no calendário escolar nacional em 2003 e, em 2011, foi instituído oficialmente o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. Neste ano, também se comemora os 130 anos de abolição da escravidão, o que mostra que este sombrio capítulo de nossa história ainda é muito recente.

Infiltrado na Klan Ubook

Novembro é também o mês de celebrar a cultura negra e a luta por igualdade contra o racismo – e já temos o livro perfeito para falar sobre isso.

Infiltrado na Klan Ubook

Ron Stallworth foi um dos poucos detetives negros a trabalhar na polícia de Colorado, EUA, durante os anos 1970. Tendo que enfrentar não apenas o racismo das ruas, mas também da corporação, em 1979, ele comandou uma grande operação para se infiltrar na Ku Klux Klan, uma organização que defende a supremacia branca e promove linchamento e assassinato de negros e latinos desde o fim da Guerra Civil norte-americana, em 1865.

Infiltrado na Klan Ubook

Correndo grandes riscos, Stallworth conseguiu expôr e sabotar grandes atentados terroristas que a KKK faria ao longo de oito meses. Ele conta sua história em “Infiltrado na Klan”, lançado em 2014 e recém adicionado ao catálogo de e-books do Ubook. O livro, que em breve ganhará uma versão em áudio em comemoração ao Mês da Consciência Negra, também foi adaptado ao cinema por Spike Lee, indicado ao Oscar pelo clássico “Faça a Coisa Certa” (1989). A adaptação foi exibida no Festival de Cannes deste ano e foi premiada com o Grande Prêmio do Júri. A KKK também já foi representada no filme “Django Livre” (2012), de Quentin Tarantino: em uma cena, um grupo de supremacistas brancos tenta atacar o protagonista Django (Jamie Foxx), mas são impedidos pelo justiceiro Dr. King Schultz (Christoph Waltz).

Resultado de imagem para django unchained scene]
Cena de “Django Livre”.

Stallworth ajudou a desmascarar o ódio e é o nosso Livro do Mês do Ubook Box em dezembro, com a curadoria feita pelo ator e rapper André Ramiro. Para saber mais, dê uma olhada no que preparamos para você em nosso Box.